sábado, 16 de maio de 2015

"...UTSM » Ultra Trail São Mamede 2015..."

...esta minha terceira UTSM » Ultra Trail São Mamede 100km, prevista no meu "Rascunho de Desafios d´Aventuras 2015", decorreu dentro dos parâmetros estabelecidos, representando não só a participação em mais este Desafio que compõem o Circuito Nacional de Trail Ultra Endurance da ATRP » Associação de Trail Running de Portugal, mas também em simultâneo, na realização de mais uma "voltinha" de convívio, camaradagem, divertimento e Aventura entre muitos dos trilhos da minha Infância...
...assim aconteceu, devido a todas as entidades locais envolvidas, e ao enorme Empreendedorismo, Esforço, Dedicação e Trabalho, despendido entre todas os voluntários, colaboradores e o incansável "Staff" do ACP » Atletismo Clube de Portalegre, que no seu todo simbolizam as "nossas" Gentes Alentejanas!!!
(...)
...assim, no final da manha de sexta-feira, realizo secretariado, que funcionava de forma eficiente no Estádio Municipal Prof. Eduardo Sousa Lima, local de toda a Base dos Desafios, iniciando os preparativos do meu equipamento após o  almoço, permanecendo no decorrer da tarde ao ritmo do tempo, mais propriamente na sua calma toada, que me transporta no momento de retemperar o estômago com  um preciso jantar após a chegada do Amigo Luís Matos Ferreira, repetindo o gosto em receber no "nosso" habitat familiar, e assim usufruir da sua agradável companhia...
 ...após o seu acolhimento e o retemperar de energias, era tempo de nos deslocarmos para a base do Desafio, localizado no referido Estádio, onde ao som do Grupo musical local "Só Xutos" realizo o controlo de material obrigatório sobre a prestável atenção do Nuno Filipe Rodrigues, entrando para caixa km0, reencontrando por ali muitos Amigos entre os quais os "Guerreiros Vicentinos" José Presado, Nuno Assis e Pedro Vaz que tal como eu aguardávamos pelo inicio do Desafio, e o restante "Team" composto pela Liliana, Anatilde, Roberto, Lousada e o Emanuel que também eles iriam Desafiar outras distancias...
...na companhia da Rita Ricardo, escuto novamente os seus conselhos e revemos a estratégia, enquanto da foto pela "Cortesia" da Vitorina Mourato, Grande Senhora e Atleta local, permanecendo muito tranquilo e confiante para transpor os 100km de incertezas que tinha pela frente...
...a hora prevista, ao som dos Xutos, saio descontraidamente, na busca do meu espaço e ritmo, relembrando que um dos principais objectivos era cruzar aquele insuflável final...
...os primeiros km são percorridos no meio de alguma agitação provocada pelo pelotão que vai compacto, subindo e descendo os trilhos do monte da Frazoa que me leva ao sitio da Biquinha, curta passagem em alcatrão, para onde se deslocaram muitas pessoas que incentivam todos os Aventureiros...
...os trilhos estão secos, o vento sopra forte, por vezes de frente, existindo muito pó e impurezas no ar, atingindo o 1ºPac na Adega Altas Quintas, continuando ate ao 2ºPac na Vila de Alegrete, este, localizado apenas na Vila mais Bonita deste "meu" Alto Alentejo, de onde orgulhosamente sou natural, reencontrando ali inúmeros Amigos...

                                                                                                                                                                                                                                   ...ao seu responsável, Luís Maurício, respondo a sua questão, afirmando que ate ali, estava tudo TOP, prosseguindo em frente, com a informação que o vento estava forte e as temperaturas baixas na Serra de São Mamede, conquista assim o 3ºPac no alto das antenas desta mesma Serra, contabilizando 30km de Desafio e reencontrando o Grupo de apoio Vicentino...

...sentia-me bem, comi algo e bebi café, continuo com a mente no 4ºPac em São Julião, onde me coloco sem dificuldades, sendo carinhosamente recebido pelos responsáveis do Pac, os  Amigos Fernando Carvalho, Miguel Serafim entre outros, nomeadamente a Lurdes, a Inês, a Rita Ramos e o Rui Alvarão...
...de lá sai, na companhia do Carlos Charrua, outrora ciclista profissional, transmitindo-lhe que brevemente iríamos assistir ao fantástico nascer do sol, entre os trilhos da Sierra Fria, que nos conduziam a portela do Porto da Espada, 5ºPac, onde sou novamente brindado pela saborosa bifana do Amigo Pépe, entre umas fotos do Ângelo Carrapiço, que testemunham no tempo o grande lateiro/comilão que sou...
...satisfeito e confiante, prossigo percorrendo os trilhos da Serra Selada, desço e refresco os pés na travessia do rio Sever, rumo a trilhar as calçadas romanas que me levariam a conquistar o Imponente Castelo de Marvão, 6ºPac, 60km de UTSM, sendo saudado pelo Prof. Drº Domingos Bucho, responsável pela saborosa sopa que ingeri entre outras iguarias, abasteço e realizo as restantes preparativos, envio "Sms" a Rita Ricardo transmitindo-lhe informação, enquanto reencontro o Amigo Luís Ferreira, o Zé Grande e o Paixão, entre outros...
...obtenho conhecimento através do Filipe Presado, que os restantes "Guerreiros Vicentinos" estão todos bem, prosseguindo cada qual os seus Desafios, o que me deixa bastante satisfeito!!!
...onde entra um "Vicentino" sai um "Finisher"!!!
...desço a calçada romana ate Portagem, rumando em direcção ao Cancho do Lobo, conquista exigente, onde me junto na companhia do "Camarada" João Miguel Semedo, que representa com Dignidade a "nossa" Academia Militar, atingindo o 7ºPac em Carreiras, onde a Rita me aguarda...
...realizo os preparativos de ocasião e prossigo, ate ao 8ºPac, na Srª Penha de Castelo de Vide sobre a coordenação do Amigo Sérgio Carinhas e Paula Matos...
...continuo empurrando o esqueleto, na fase do circuito que pessoalmente menos aprecio, facilitando a passagem dos participantes no TCSM/25km, atingindo sobre um escaldante Sol, o 9ºPac Convento da Provença, onde abasteço de líquidos e mastigo um pouco de pizza...
...consciente do ate então conseguido, prossigo com as forças necessárias para conquistar os trilhos da Serra da Srª da Penha de Portalegre, local do 10ºPac sobre a orientação do Amigo Rui Monteiro...
...desço determinado a escadaria e percorro os km finais, com o insuflável final na mente, o que acontece naturalmente após uma progressão nos trilhos adequada nas minhas limitações, ao planeamento estabelecido atingindo assim todos os objectivos estabelecidos!!!
...o momento de cruzar o insuflável final, representa mais uma conquista neste usado esqueleto, transformando os 100km de incerteza, agora na certeza de uma luta honesta e justa com os obstáculos naturais do Desafio e as suas adversidades...
...percorrer os "meus" trilhos naturais, impossibilita-me de saborear a apreciável adrenalina por Desafiar-me partindo na descoberta do desconhecido, mas por outro lada, possibilita-me fazê-lo com uma enorme paixão, recuando nos tempos, recordando com felicidade a minha infância entre a saudosa companhia do meu falecido Pai, enquanto das nossas permanências e seus ensinamentos nesta "nossa serra" nas suas funções profissionais na Circunscrição Florestal de Portalegre, agora Parque Natural da Serra de São Mamede!!!
...considero-me um sortudo por permanecer nesta "nossa serra" desde a infância, conhecendo-a como poucos, respeitando e protegendo para que todos possam desfrutar da mesma, lamentando a falta de princípios de alguns...
(...)   
...para finalizar este meu "Uivo", acrescento que o circuito percorrido de 100km, foi semelhante ao da passada edição, tal como toda a estrutura envolvente, com ligeiras alterações, mas que certamente possui a intenção de partilhar e possibilitar uma agradável viagem d´Aventura entre aqueles que se deslocaram ate este "nosso" Alto Alentejo, tantas vezes esquecido e necessitado destas agitações saudáveis...
...exponho nesta ultima ilustração, alguns números apresentados pela organização, restando-me agradecer os excelentes momentos vividos nesta minha 3ª UTSM, a todos os Amigos e conhecidos que me saudaram e acarinharam...
...também á "Extraordinária" Alcateia, composta por Familiares, Amigos e Colaboradores, que através das suas mais diversas formas contribuem para que eu atinja os meus objectivos...
...o meu muito Obrigado a todos!!!
...não existe a necessidade em vos descrever, pois vocês sabem quem são!!!
...despeço-me por momentos, enviando aquele Abraço de Amizade, lfmricardo

quarta-feira, 15 de abril de 2015

"...MIUT » Madeira Island Ultra Trail 2015..."

...o MIUT » Madeira Island Ultra Trail, foi um "Inesquecível Desafio d´Aventura" que decorreu na ilha da Madeira, deslumbrante local, descrito como a "Pérola do Atlântico"...
...o MIUT 2015, integrou o calendário do Circuito Nacional de Trail Endurance em simultâneo com a atribuição dos Campeões de Portugal de Trail Ultra Endurance da ATRP » Associação Trail Running de Portugal, repetindo o estatuto da MIUT 2013, conseguindo em ambas as Edições, conquistar a adesão da Elite do Trail Running Nacional...
...fez ainda parte nesta edição do UTWT » Ultra Trail World Tour na categoria de "futuro race", passando a "efectiva race" e pontuável do World Tour no próximo ano!!!
...classificada de grau 3 em dificuldade, atribui aos "Finishers" 4 pontos para "UTMB » Ultra Trail Mont-Blanc 2016, proporcionando-me ainda o estimulante Desafio de atravessar a ilha no sentido noroeste-sudoeste, com inicio em Porto Moniz, ao nível do mar, com passagens pelos pontos mais altos para depois regressar ao nível do mar, em Machico, numa incursão pelo património mundial natural da UNESCO!!!
...assim, tive o privilegio de Uivar ao ritmo do "Bailinho" da Madeiraentre 115km com 6848m D+ de Trilhos Soberbos e Inesquecíveis!!!





...a viagem de Portalegre ate Lisboa foi tranquila, dentro da normalidade, como também o voo entre aeroporto Lisboa e Funchal, onde após as formalidades de viagem, fazia tempo de levantar uma viatura auto e viajar ate Machico, onde fomos muito bem recebidos e excelentemente alojados, para uma "Desejada" estadia de 6 dias de ferias em simultâneo com a participação na "Deslumbrante" MIUT...
...toda a base e centro logístico do Desafio, Secretariado, Protecção Civil, Posto Medico e Fisioterapia, era em Machico, anexo ao Forum, numa praça entre jardins, esplanadas, junto do Atlântico, sendo montada uma enorme tendaa 100m do nosso alojamento...
...estiveram 500 voluntários espalhados pela ilha, incluindo nos 12 postos de abastecimento e controle de passagem com leitura de Chip em pulseira inviolável, num total de 1300 Trailers, nas quatro distancias existentes, oriundos de 30 nacionalidades...
...o ambiente envolvente era fantástico, a diversidade, os estilos, as posturas, as t-shirts que cada um envergava, simbolizavam conquistas, lutas pessoais, testemunhos enquanto "Finishers" nos mais emblemáticos Desafios do planeta...
...ia saboreando tudo isto enquanto realizava o meu processo de secretariado, confirmando a obrigatoriedade no envio digitalizado via mail do meu certificado de Aptidão Física, respondi a um formulário medico, assinei um termo de responsabilidade, recebo o chip de controlo em pulseira inviolável no pulso, chip na mochila com material obrigatório, recebo dorsal com apresentação BI ...
...com tudo tratado, era aguardar que o tempo me transporta-se para o inicio do Desafio, sendo tempo para iniciar uma visita pela "Pérola do Atlântico"...
...assim, na companhia da Rita Ricardo, a companheira de sempre, percorremos estradas, atravessamos montanhas pelos túneis que nos colocavam em sítios fantásticos, diversificados entre si, possuindo cada qual o seu significada, desde o Machico, a beira do Atlântico no Caniçal, nas montanhas, em altitude no miradouro da Eira do Serrado, no mítico Curral das Freiras ou na cidade do Funchal, entre muitas paragens em locais admiráveis!!!
...os primeiros dois dias foram fantásticos, chegando o momento de jantar, equipar, ultimar pormenores e apanhar autocarro que nos transportou de Machico ate Porto Moniz, atravessando a ilha do local chegada para o local da partida do Desafio...
...por lá, enquanto aguardava pelo tiro de partida, foi o continuar do reencontro de Amigos, seguindo-se altura para entrada na caixa de controle 0km!!!

...por fim, tem inicio o tão "desejado" Desafio d´Aventura, e saio com cautelas, conhecedor que os primeiros 30km ate ao sitio dos Estanquinhos seriam "arrasadores" contabilizando 2867m D+, com dois cumes de montanha conquistados ate então, o Fanal e Estanquinhos...

...seguiram-se mais 45km, algo idênticos, conquistando os cumes da Encumeada, Curral das Freiras local de Base de Vida, seguindo para o Pico Ruivo e Pico do Areeiro, contabilizando aos 75km 6122m D+...
...durante a noite, quando atingia uma determinada altitude, o frio gelava-me o corpo, obrigando a recorrer do corta vento e luvas...
...o desgaste era notório, transformando os restantes 40km numa admirável luta físico/mental, mantendo o objectivo de transpor o pórtico final localizado em Machico, conforme veio a acontecer...
...o MIUT, por muito que se tente, é indescritível, no entanto sobrescrevo a citação do José Capela, companheiro de muitos km...
José Capela
"Há trail e há o MIUT.
O abismo num fundo de perder a vista, o céu na palma das nossas mãos.
Veredas, levadas, falésias, bosques, picos.
A noite escura, o orvalho, o nascer do dia ao som da passarada.
O movimento rápido das nuvens, o nevoeiro, o sol por vezes quente e castigador; outras, ameno e reconfortante.
A noite que aparece sorrateiramente serena e silenciosa transportando o cheiro a aipo, o suave barulhinho do mar e o som animado das cagarras.
O MIUT é uma maravilhosa viagem entre o Porto Moniz e o Machico contada pelas escadas e escrita com os bastões!"

...quando transpus o pórtico final localizado em Machico, degustei o sabor de mais uma conquista, uma "Soberba" conquista por entre os 115km de trilhos deste "Inesquecível" Desafio, apelidado de MIUT » Madeira Island Ultra Trail, onde travei uma luta justa, digna, honesta com a montanha e todos os sues obstáculos naturais e suas adversidades...
...quando transpus o pórtico final, recordei todos os companheiros de km enquanto o Desafio, nomeadamente o Pedro Pinho (30km), Sandro Jordão (60km), José Capela (70km), Marco Caíres (75km) e tantos outros...
...quando transpus o pórtico final, recordei alguns dos que contribuíram nas suas mais variadas formas por eu permanecer ali, naquele momento tão especial, nomeadamente a Rita Ricardo pela compreensão desta forma de vida, pelo apoio e companhia, assim como as nossas filhas Sílvia e Mariana pelo incentivo e motivação, a minha Mãe e Irmã Vanda pelo apoio, incentivo e presente, ao Rui e Bruna pelo acolhimento e colaboração em Lisboa, ao "camarada" Capitão Cláudio Quelhas GIPS/GNR, Fernando Salvador do Paredes Aventura, Eduardo Santos de O Mundo da Corrida pelas dicas, conselhos e Amizade, aos "Guerreiros Vicentinos" pelo apoio, incentivo, Amizade, ao Daniel Dias pelas palavras de Amizade via Sms...
...muito, muito, muito Obrigado a todos!!!
...permaneço ainda muito grato aos companheiros d´Aventura presentes da Desnível Positivo, do Paredes Aventura, dos Trinca Espinhas e ACP, pelos momentos partilhados entre o fortalecimento das Amizades existentes, e também ao "Staff" e seus voluntários e colaboradores do Clube de Montanha do Funchal, pelo "Magnifico" trabalho desenvolvido e colocado ao serviço da comunidade do Trail, onde eu tive a honra de estar...
...com a certeza de "objectivo" conquistado no Esqueleto, era tempo de retemperar forças, recuperar do desgaste, e continuar a conviver com os Amigos...
 ...permanecemos a descobrir os lindos recantos da "Pérola do Atlântico" voltamos a atravessar a ilha, de Machico, ate Porto Moniz, agora de dia, apreciamos a beleza natural, do local de onde tinha iniciado o Desafio enquanto noite...
...na viagem, subindo a ribeira Brava, conquistamos as vistas do Cabo Girão, na sua planta-forma de miradouro a 580m de altura, sobre o mar, aproveitando ao máximo todos os momentos, todas as oportunidades, que o tempo de regressar aproximava-se ao final de 6 "Saudosos" dias!!!
...esta é apenas a minha simples forma de permanecer na vida, assim como no Trail Running enquanto simples desportista, pretendendo continuar a trilhar o meu próprio caminho, a UIVAR, nesta caminhada de incertezas, com o desejo de regressar novamente numa futura edição da MIUT!!!
...transpor montanhas longínquas, viajar para novos destinos, conviver com outras comunidades, é apenas uma das melhores formas de crescimento e aprendizagem sobre nós próprios...
...transportamos connosco, momentos únicos que serão "Inesquecíveis", registando um ate breve, MIUT, Madeira "Pérola do Atlântico", Dona Maria José, voltaremos um dia...
lfmricardo